Ajudar : Porque não?

 

Com certeza você já deve ter ouvido falar em trabalho voluntário e ação social. Pois é, você participa de algum projeto desse tipo? Ainda não? Sim? E por quê? Já parou para pensar nisso?

Eu sempre gostei e me identifiquei bastante fazendo projetos sociais. Quando eu estava no 8°/9° ano do ensino fundamental, uma amiga me apresentou o projeto QS (Queremos Sorrisos) e foi aí que entrei para o projeto. Nós fazíamos atividades na Vila Vicentina, lugar onde mora vários senhores(as), no Lar da Providência e também em algumas escolas públicas de Itajubá.

Na época, meus pais me falaram que era muito bom para meu futuro currículo e realmente, é sim muito bom para o mercado de trabalho, mas não era por esse motivo que eu o fazia.

Depois de alguns anos acabei saindo desse projeto e foquei minhas energias no ENEM, afinal tinha toda aquela pressão para passar na facul né 🙁

Assim que entrei na UNIFEI me vi, novamente, com essa vontade de realizar algum trabalho voluntário de cunho social. Logo de cara, a Carol Rennó foi em uma das nossas primeiras aulas apresentar o PET Administração, e quando ela falou da escolinha e do Bota Pra Fazer meus olhos brilharam. Já fiquei mega empolgada, mas me apareceu também outra oportunidade em uma das aulas de inglês, a professora perguntou sobre como estava o projeto PLAY para um aluno, e ao ouvir que era um projeto focado em dar aulas de inglês para alunos de escola pública me interessei na hora. Fui então, conversar com alguns colegas para saber mais do projeto, cada vez que perguntava, mais interessada eu ficava. Fiz o processo seletivo, passei, hoje faço parte do PET ADM e do PLAY, e sou tão grata por isso, aprendo tanto com eles que se fosse escrever aqui daria um livro!

Quando comecei a dar as aulas no PLAY e ir na escolinha com o PET, pude perceber o quanto sou privilegiada, o quanto eu tenho e o quanto posso fazer por aquelas crianças. Cada criança é tão especial, cada criança te ensina tanto, cada aula é diferente, eles nos admiram tanto pelo básico que a gente faz por eles. É tão pequeno mas ao mesmo tempo tão grande. Se todo mundo fizesse um pouquinho, doar um pouquinho de si para essas causas o
mundo seria tão melhor! (Pode parecer clichê, mas muitas pessoas ainda não entendem isso :(( ).

A gente doa tão pouco, 1 horinha por semana, mas recebemos tanto em troca, tanto carinho, admiração, aprendizado, gratidão, é uma mistura de sentimentos.

 

 

Enfim, voltando para o que me induziu a escrever esse texto. Em uma das disciplinas que estou fazendo esse semestre, minha equipe e eu estamos realizando um projeto de pesquisa sobre a questão da motivação em projetos voluntários de cunho social na UNIFEI, e em uma das reuniões o professor me perguntou o motivo pelo o qual eu me motivo dentro do PLAY. E foi aí, que eu parei pra pensar o por quê estou fazendo tudo isso, e percebi que no
começo foi por caridade, por me importar com estas crianças, mas é também porque me sinto bem fazendo isso, e quão maravilhoso é quando você se sente bem fazendo o BEM.

Hoje, tudo e todos são tão egoístas (na maioria das vezes), pensamos tanto em nós, em como me qualificar melhor para o mercado, como conseguir mais dinheiro e esquecemos que tem gente precisando de nós.

Termino esse texto, com o intuito de compartilhar com vocês um pouco dessa experiência maravilhosa que é fazer parte de um projeto social e plantar essa sementinha do que podemos fazer para melhorar um pouco essa realidade cruel que fazemos parte.

 

 


Texto por Letícia Tenório

Deixe um comentário!!!