Black Bee Drones representa Unifei em competição Internacional

Em agosto de 2015, surgia a Black Bee Drones, a primeira equipe universitária a desenvolver drones inteligentes no Brasil. Com o passar do tempo, se tornou referência nacional no ramo e atualmente o time é dividido e estruturado em cinco áreas que contam com 34 membros de diversos cursos da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI).

O trabalho do dia a dia proporcionou a conquista de prêmios importantes tanto no cenário nacional como internacional. Entre eles, o prêmio IDEA, conquistado em 2017 em uma conferência em San Jose, nos Estados Unidos. Outro destaque é a DroneShow LA, principal feira de drones da América Latina, onde a equipe foi premiada em três categorias: “Melhor projeto”, “Melhor instituição de ensino e pesquisa” e “Profissional do ano”.

A maior motivação da Black Bee,é o IMAV (International Micro Air Vehicles), competição anual destinada a promover tecnologias para o desenvolvimento de micro-drones, que combina uma conferência científica com uma competição tecnológica. Este ano o evento ocorrerá dos dias 17 a 23 de Novembro em Melbourne – Austrália e a equipe embarca em busca de um bom resultado em sua quarta participação. Nas três edições anteriores destaca-se o quarto lugar na França e o pódio na Alemanha, onde a equipe também conquistou uma menção honrosa por ser a única formada apenas por graduandos. 

Na competição, as equipes devem realizar provas em que os drones atuam em simulações de procedimentos de emergência, como mapeamento de território, localização de vítimas, coleta de água, combate a incêndio, entrega de pacotes e perseguição a um veículo, tudo isso realizado de forma autônoma. Este ano as provas outdoor trazem desafios para o cumrpimento dos objetivos, como por exemplo o “Treasure Hunt” (caça ao tesouro) que consiste no drone identificar discos de metal camuflados no chão representando dutos também de metal e mostrar a posição dos mesmos. Outro exemplo seria o “Search and Rescue” (busca e resgate), onde um bombeiro está perdido e machucado na floresta, e a equipe deve sobrevoar a área, realizando a identificação do mesmo e, posteriormente, ajudá-lo jogando um kit de primeiros socorros. E, por fim, a prova de mapeamento, a exigência é a entrega de um mapa 2D de toda área e a partir dos algoritmos ligados à visão computacional, localizar e realizar a identificação de ameaças na área de forma inteligente, sendo que estas estarão dispostas de forma aleatória e serão representadas por galões e crocodilos.

Por fim, vale lembrar que as competições são configuradas para destacar áreas como, eficiência de aeronaves e designs inovadores, MAVs leves e pequenos, autonomia e processamento de imagem, estabilidade em turbulência, cooperação Multi-MAV. E é mais uma vez a busca pelo destaque que faz a Black Bee Drones ir novamente representar a Unifei e o Brasil em uma jornada de grande aprendizado e possibilidades de compartilhar o conhecimento com uma audiência global.

Texto escrito por Yuri Marins Diniz – Marketing Black Bee Drones

Deixe um comentário!!!