Empreendedorismo está logo ali

 

“Levanta, sacode a poeira, E dá a volta por cima…” é com essas palavras da música da Beth Carvalho que começo esse texto, pois acho elas que resumem bem a essência dos brasileiros. A palavra empreendedorismo está em moda, muito usada, mas até que ponto realmente conhecemos o seu significado e principalmente, sabemos utilizá-la em nossas vidas?

Não falo de abrir uma mega empresa e faturar milhões de reais, comecemos a pensar em algo bem menor, mais próximo de nossa realidade. Provavelmente muitos dos que lêem estas palavras sejam estudantes, ainda mantidos com dinheiro dos seus responsáveis. Mas precisa ser exatamente assim?! Claro que não, com o jeitinho brasileiro podemos começar a nossa independência financeira.

Quantos são aqueles que dentro da faculdade fazem projetos e serviços para terceiros, podem não custear todas despesas, mas traz mais conforto e certa independência.

Aqui começo a contar sobre mim, algo que fiz e está relacionado com a ideia que quero transmitir.

Era 2017, mês de abril, grana curta, aquele desconforto em pedir dinheiro para os pais e de um simples doce levado no cursinho para os amigos surgiu um negócio. Levei palha italiana para alguns amigos e veio a sugestão de que eu fizesse para vender. Daí o doce se tornou uma fonte de renda. No primeiro momento eu investi cerca de cinquenta reais, que emprestei do meu pai, e levei os doces para venda. Na semana seguinte já estava com etiquetas e uma logomarca e começou a dar lucro. Detalhe, devolvi o empréstimo ao meu pai, importante pra dar confiança ao negócio. Algum tempo depois surge a ideia de usar algo bem em moda, o famoso junte 10 cupons e troque por um produto e funcionou bem, fideliza seu cliente além de ser natural da mente humana querer atingir a meta das 10 fichas. O que além de divulgar o produto, atrai o cliente e torna a compra algo mais divertido.

Mas não podemos ficar na zona de conforto, temos sempre de inovar e melhorar, pra isso usei promoções, sorteios, pontos de revenda. Hoje o negócio se tornou lucrativo, custeia as minhas despesas em Itajubá, tubo bem que a cidade é de baixo custo de vida, mas de certa forma aquele doce apenas para alegrar os amigos é hoje o meu ganha pão e rende 10 vezes mais do que o pontapé inicial.

TA, MAS E DAI?

Esse foi apenas um exemplo de como nós brasileiros damos nosso jeitinho, aulas particulares, prestação de serviços, as famosas start ups, tudo isso são formas de expressão da.nossa capacidade de empreender, portanto dêem asas para suas ideias, toda ideia deve ser expressa e analisada.

 

Apenas algumas considerações finais que deixo à todos:

 

Se você sente vontade de fazer algo, vá atrás, lute e persista.
Uma ideia que não sai da sua mente vai ser sempre uma ideia, propague seus pensamentos.

 

 

Texto por Gustavo Duarte

 

 

Deixe um comentário!!!