Experimentando Desafios – por Lucas Ribeiro

Sou o Lucas Ribeiro, tenho 24 anos, faço atualmente Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas na UFPR, sou morador da Casa do Estudante Universitário – CEU (uma das maiores da América Latina) há 4 anos.

Tudo começa em 2014, quando já decidido a morar fora da minha cidade natal (jovem capital Palmas), me lanço para uma Universidade em Curitiba, depois de aprovado e com a matrícula feita era hora de embarcar nessa nova fase! Com todos os medos, aspirações e possibilidades. Acredito que, em geral, quando se toma tal opção de ir para longe da família (com mais de 2000km de distância) ficamos apreensivos pela forma como nos integraremos com novas pessoas e costumes; e comigo não podia ser de outra forma.

Passado esses anos aprendi algumas lições valiosas para muitos estudantes que topam esse desafio: não se esqueçam do desenvolvimento de habilidades interpessoais e do seu autoconhecimento. Parece algo sem importância, porém o que mais vi e ainda vejo é como estas duas habilidades são importantes para a vivência em qualquer contexto. Há algum tempo olhava para a relação interpessoal como algo importante para a vida profissional (networking), porém também se enquadram as relações mais informais, e foi nesse cenário que me aprimorei. Na função de Diretor de Departamento de Lavanderia dentro da CEU, por 18 meses pude aprimorar as minhas capacidades de liderança e tudo que ela acopla como: ouvir melhor, falar com objetividade, de uma forma atrativa, ter certa empatia e motivar pessoas; afinal nessa função eu era: morador, amigo de morador e líder (com um tom mais formal) ao mesmo tempo.

Foi quando percebi que faltava algo mais interno, e que impactaria diretamente na relação interpessoal, o autoconhecimento. Uma habilidade que pode ser desenvolvida, e com muita leitura, comecei a dar os primeiros passos, pois diminuir a quantidade de conflito interno me ajudaria a harmonizar a minha networking e tomar decisões com mais confiança, trazer a noção dos meus objetivos enquanto universitário de forma clara, como futuro profissional e como pessoa, entendimento sobre capacidades pessoais e o que posso desenvolver ainda mais.

Muitos estudantes acabam passando por maus bocados ao sonegarem o desenvolvimento dessas habilidades, o que pode levar estudantes para o isolamento social, uma bolha, fragilizando o psicológico e outros problemas, principalmente por que existe muita pressão para os resultados, seja no âmbito acadêmico ou no social.

Então, de recado final gostaria de explicitar: o meio acadêmico vai ser difícil de qualquer forma, por isso recomendo sempre não criar em si um obstáculo, reserve um tempo para se conhecer, se preservar e se motivar, pois aí, independente do resultado, no final você carregará um sorriso no rosto e experiência.

 

Texto escrito por Lucas Ribeiro

Deixe um comentário!!!