O que é Blockchain?

 

Blockchain foi um dos assuntos mais comentados nos últimos anos e a gente não poderia passar batido sobre este tema por aqui.

Nós gravamos um vídeo sobre isso, aqui no nosso Papo Maker! Caso você curta assistir um vídeo, já pega a pipoca e bora assistir. Até porque, esse texto aqui serve pra complementar o assunto. 😉

Mas afinal, o que é blockchain?

Blockchain é uma espécie de banco de dados onde ficam armazenadas muitas informações aglomeradas de outros e outros servidores.

A tradução mais literal que consigo fazer é “cadeia de blocos”, que é um sistema coletivo de armazenamento e registro de informações. As informações ficam guardadas em vários blocos que são ligados a ela.

Aqui uma imagem que exemplifica o uso de um servidor para armazenar todos os dados de algum determinado usuário.

Imagem tirada do site CoinDesk (link aqui).

E esta outra imagem, vemos o uso de varios locais em que os dados ficam armazenados, fazendo com que o fluxo de informação seja mais descentralizado.

Imagem tirada do site CoinDesk (link aqui).

Para ilustrar, deixo aqui uma imagem que pode ajudar bastante na compreensão. Ela esta presente no texto do site Blockgeeks que tem muita informação legal sobre o assunto (recomendação feita!).

 

Fonte: site blockgeeks

E por fim, deixo um video curtinho mostrando em uma animação como que funciona a blockchain.

O assunto de Blockchain sempre vem atrelado às famosas criptomoedas Bitcoins. Isso se dá pelo fato de que a tecnologia por trás destas moedas, é a própria Blockchain.

Ou seja, a aplicação da tecnologia que estamos vendo neste texto é a Bitcoin. Observação importante:  A aplicação mais famosa sobre o uso desta tecnologia é as Bitcoins. Mas a blockchain não é aplicável apenas para este exemplo (veremos isso no decorrer do post).

Portanto, vamos conversar como a tecnologia dos bitcoins funciona. E então, entender o potencial disruptivo da blockchain.

Bitcoins

Apesar de todas conversas a respeito de Bitcoins e Criptomoedas, muitas pessoas ainda não sabem como essa tecnologia funciona.

Para simplificar, bitcoin é uma moeda inteiramente digital (você não vai encontrar em nenhuma carteira por aí). É muito possível que você até conheça algum amigo que já comprou uma dessas. (Ou pelo menos uma porcentagem dela, rs.)

Ela foi criada em 2009, pelo Satoshi Nakamoto. O proposito desta tecnologia recente era que, com o uso do Bitcoin, as pessoas poderiam fazer suas compras e vendas sem a necessidade de um intermediário. Ou seja, os usuários não precisam necessariamente vender para uma instituição financeira e comprar dela. Além de é claro, outro propósito é ter uma tecnologia em que todos os usuários sejam vistos e tratados de maneira igualitária, consensual e transparente entre si.

É como se fosse: um Uber que os motoristas se conectam diretamente com os passageiros. Ou então,  um Spotify em que os músicos se conectam diretamente com seus ouvintes.

Então, basicamente, a blockchain é um grande banco de dados em que as negociações de bitcoins são feitas. Banco de dados descentralizado, seguro e transparente.

Possivelmente você já deve estar curioso para saber como tudo isso funciona, e nos próximos minutos, vamos explicar o que acontece por trás dessa tecnologia.

Por trás da tecnologia do bitcoin

A criptomoeda é comprada e vendida a partir da tecnologia da blockchain. De uma maneira bem abstrada, vamos explicar como que funciona para descomplicar de vez.

A blockchain como se fosse um caderno em que todas as transações de compra e venda fossem registradas. E, este caderno é compartilhado por várias pessoas ao mesmo tempo, de maneira pública e com livre acesso. Além disso, ele registra as informações por meio de criptografias. E, uma vez registrada a informação, ela nunca poderá ser apagada ou mudada.

Como essa cadeia de blocos, possui realmente os blocos selados por códigos criptografados de maneira complexa, é difícil que eles possam ser violados. Praticamente impossível adulterar as informações. Nada de fraudes.

A ideia é que se você for um comprador de bitcoin, e estiver logado na rede, você consegue ver a criptografia referente as transações. Porem sem poder alterar nenhuma informação que já está nesta cadeia de blocos e, claro, sem ver mais sobre a identidade das pessoas envolvidas neste processo.

Para que tudo isso funcione de maneira fluida, é necessário que existam os mineradores. Eles são os famosos personagens que fazem essa engrenagem rodar. Mineradores são indivíduos que cuidam da emissão de novos bitcoins, confirmam transações e cuidam da segurança da blockchain. 

Emissão de novos bitcoins

Moedas tradicionais – como o real ou o dólar – são emitidas pelos bancos centrais. O banco central pode emitir novas unidades de dinheiro a qualquer momento com base nos seus estudos de economia.

Bitcoin é diferente. A taxa de emissão é definida no código, portanto os mineiros não podem enganar o sistema ou criar bitcoins fora do ar. Eles precisam usar seu poder de computação para gerar os novos bitcoins.

Confirmando transações

Mineiros incluem transações enviadas na rede Bitcoin em seus blocos.

Uma transação só pode ser considerada segura e completa quando é incluída em um bloco. Porque apenas quando uma transação foi incluída em um bloco é oficialmente incorporada no blockchain do Bitcoin.

Segurança

O papel dos mineiros é proteger a rede e processar todas as transações Bitcoin. Eles protegem a rede Bitcoin dificultando ataques (texto falando sobre cybersegurança).

O poder de mineração distribuído entre muitos mineradores diferentes mantém o Bitcoin seguro e protegido.

Os mineiros conseguem isso resolvendo um problema computacional que lhes permite encadear blocos de transações (daí a famosa “blockchain” do Bitcoin).

Para este serviço, os mineiros são recompensados com Bitcoins recém-criados e taxas de transação. Uma curiosidade é que é na China onde se encontram a grande maioria dos mineradores, cerca de 3/4 de todos mineradores do Bitcoin.

A maioria das mineradoras de Bitcoin é especializada e os servidores são mais ou menos assim:

Enormes servidores, fonte: BBWW.

E agora, com todas essas informações, vai ficar mais claro quando dizemos que é praticamente impossível alterar as informações. Esses indivíduos mineradores, conseguem proteger as informações. Porém, se algum desses mineradores possuir 51% da capacidade computacional de todos os outros computadores de mineradores, ele será capaz de provocar alguma fraude. Dessa forma, a blockchain não funcionaria de forma consensual, mas seria alterada para o benefício próprio deste minerador. O que é praticamente impossível de acontecer.

Características

Blockchain é uma cadeia de blocos, em que cada bloco possui os dados, os hashs e a identificação do bloco anterior. Isso é uma característica de segurança e descentralização. 

Legger distribuído: o “livro” em que estão registradas todas as informações, é compartilhado por toda a rede, todos têm acesso e podem ver.

Transparência: todas as informações de translação são públicas, o que consegue ser sempre muito transparente a todos os usuários. Todas elas conseguem ser verificáveis.

Privacidade: as informações mais sensíveis do ledger podem ser ocultadas, sem prejudicar a verificação do bloco. Escondendo, por exemplo, o endereço das pessoas.

Consenso: As transações são vistas por todos os participantes da rede. Não podem ser fraudadas, afinal, os documentos não podem ser alterados depois de escritos. é possível firmar alguns contratos e então autorizar as transações de acordo com os termos estabelecidos.

Outros usos da tecnologia Blockchain:

Acredito que tenha ficado claro que esta tecnologia é disruptiva, inovadora, de tal ponto que pode mudar todo o futuro das relações dos indivíduos com a internet.

Aqui deixamos mais um exemplo da utilização da blockchain:

Armazenamento em nuvem

Um outro exemplo do uso da BlockChain é no armazenamento de aquivos na nuvem. Hoje é comum que as pessoas façam a utilização de serviços como Dropbox, Google Drive, que armazenam os arquivos de todos usuários.

Com a Blockchain é possível descentralizar este serviço. Caso da Storj Labs, um dos serviços de armazenamento em nuvem mais famosos do mundo.

Com a preocupação crescente em segurança na internet, começa-se a pensar em criptografia, descentralização de informações e fuga de grandes servidores que podem sofrer ataques (Google, Microsoft) .

Tudo a ver com o que a Blockchain propõe, não é?

A alternativa proposta é a Storj Labs, um serviço que armazena os dados de maneira segura e descentralizada, utilizando a tecnologia que tanto falamos no texto.

 

Storj desenvolve uma rede peer-to-peer (P2P), juntamente com os seus usuários. Eles alugam espaço de disco rígido para outros clientes, ajudando a fornecer uma alternativa segura de alto desempenho e baixo custo.

Os dados ficam armazenados de maneira descentralizada. E claro, eles utilizam a criptografia para garantir a segurança. Inclusive, está é de ultima geração utilizando a cadeia de blocos Ethereum.

Outras aplicações?

Por mais que não vemos muitas aplicações ainda no nosso dia a dia, pode esperar, que em alguns anos, muitos exemplos virão por ai. Existem muitos estudos e testes sendo feitos para encontrar mais usos da blockchain. Inclusive, tem um texto da BlockGeeks, que fala exatamente sobre esse potencial que esta tecnologia tem.  Deixo o texto aqui, para os interessados de plantão: BlockChain é a nova internet? (conteúdo em inglês).

Algumas pessoas dizem que utilizando esta cadeia em blocos, será possível catalogar, rastrear e autenticar informações importantes. Quem sabe até assegurar objetos de valor. Claro, sem falar das possibilidades em relação a maneiras sem taxas extras ou burocracias.

Potencial disruptivo na tecnologia de Blockchain. Todos os usuários que se unem na Blockchain, aceitam que as pessoas se coordenem sem a presença de qualquer autoridade formal central. O consenso é que existe a rede como um todo, sem a presença de quem coordene por qualquer entidade.

Desafios a serem enfrentados pela blockchain

Falamos de muitas coisas boas e legais que esta tecnologia propõe. Mas é importante comentar o quão difícil é colocá-la em prática.

– Quantidade de informações: precisam de grandes e potentes servidores especializados para o tanto de informações

– Velocidade de transação e limite de dados:

– Regularização: não existindo nenhum tipo de intermediário

– Energia computacional: é necessário muita energia para que as transações sejam armazenadas e autenticadas.

 

Para saber mais do assunto:

Certamente profissional de blockchain está entre as listas de carreira para o futuro. Você pode conferir nessa lista do Up Work, por exemplo. E se você está interessado em trilhar um caminho profissional ligado a esta tecnologia, não perca essas dicas.

No Binance, é possível aprender mais sobre alguns algoritmos como o de consenso, segurança. Ler mais sobre as criptomoedas e muito mais. Se se interessou pelos textos e cursos do site, só entrar nesse link aqui.

Na plataforma Blockchain Brasil é possível encontrar vários cursos sobre o assunto, que vão desde o básico até algo mais intermediário. Entender bem como funciona a tecnologia “por baixo dos panos”, entendendo conceitos como: Hash, Criptografia de chave pública, Assinatura Digital, Merkle tree, Transações, UTXO, Bloco, Nó, Rede. Aprender como todos os nós da rede chegam a um acordo, aprender os contratos inteligentes, uso do Ethereum Foundation, a lista de assuntos é grande.

Inclusive, pra você que quer consumir mais conteúdos de Blockchain, eles possuem uma lista de email, só se cadastrar rapidamente lá no site deles.

Existe muito conteúdo também no Blockchain Academy, falam sobre o mercado de bitcoins, sobre como que a tecnologia pode ser útil para algumas empresas, entre vários outros conteúdos.

Recomenda-se que para os estudantes autodidatas, um estudo de: JavaScript para desenvolvimento web e Solidity, uma linguagem  de programação popular para a construção de contratos inteligentes. O treinamento em criptografia de alto nível é indispensável.

Deixo também um texto incrível (em inglês) do BlockGeeks, que norteou um pouco do texto de hoje: “What is blockchain technology?“.

3 Cursos de Blockchain

Vou deixar aqui 3 cursos sobre o assunto que você pode fazer na internet de forma totalmente gratuita. (Makers de plantão, hora de anotar!)

1-  Blockchain Theory 101 (curso gratuito)

Neste curso, você aprenderá sobre mineração, algoritmos de consenso, propriedade inteligente e contratos inteligentes.

2- Blockchain – Princípios e Práticas 

Curso da Pluralsight, em que você começará com as estruturas de dados fundamentais e os algoritmos usados para construir um Blockchain típico e criar um exemplo de trabalho ao longo do curso.

3- Ethereum Para Iniciantes: Construa Um Aplicativo Hello World Blockchain (curso gratuito)

Esse curso possui um tom extremamente prático, que te ensina do zero, sobre o Ethereum Blockchain Development. No curso, você aprende a fazer um projeto básico, fazendo um aplicativo em pouco tempo.

Este é um bom curso prático para iniciar sua jornada com o Ethereum Blockchain Development, onde você aprenderá como criar um aplicativo Hello World Blockchain em pouco tempo.

 

 

Conclusão

Esperamos que esse artigo tenha sido útil de alguma forma para vocês. E ai, entenderam mais sobre o que é a blockchain?

Se quiser e se sentir a vontade, manda uma mensagem pra gente! Vamos adorar conversar com você. 😉

Texto escrito por Aline Almeida

 

Deixe um comentário!!!