O que são robôs colaborativos?

Robôs colaborativos são a grande aposta de revolução robótica dentro de manufaturas. Com estas máquinas é possível revolucionar a indústria e automatizar postos de trabalho nunca antes pensados.

Agora vai ser cada vez mais comum ter robôs trabalhando lado a lado de humanos. E essa discussão envolve a relação de homem e máquina em um ambiente de trabalho. E ai, será que isso da certo?

Simplificando em uma frase, para já dar um breve spoiler: Cobots são robôs colaborativos que foram feitos e usados para trabalhar em colaboração com os humanos.

No texto de hoje nós vamos trocar ideia sobre o que são estes robôs, ver aplicações e discutir alguns pontos. (Se existe algum papo mais Black Mirror que este, eu desconheço. Mas se tiver, me avise que quero ler.)

Como surgiu?

O conceito e primeiro exemplo de Robôs Colaborativos foi criado para resolver um problema de ergonomia. Pesquisadores de uma fábrica da General Motors perceberam que os funcionários ficavam cansados rapidamente em determinadas funções de encaixe de peças.

A ergonomia era bastante ruim, o que fazia com que os funcionários sentissem dores, além de serem improdutivos. Acredito que todos aqui sabem que o conforto no trabalho é essencial para não somente prevenir algumas queixas físicas, mas como doenças, bem estar do funcionário e produtividade.

Os robôs que já existiam na empresa naquele momento, eram máquinas que não operavam lado a lado dos humanos, a não ser que quisessem ter um acidente gravíssimo. E a ideia dos pesquisadores foi desenvolver máquinas que trouxessem alívio físico.

O primeiro teste foi com nome de “programmable constraint machine” – máquina de restrições programáveis, numa tradução literal. E depois, trocaram o nome por Cobot. O nome vem de uma junção de “collaborative robot”: cobot e a tradução é robô colaborativo.

O resultado foi incrível, tanto que outras empresas começaram a seguir o mesmo. E hoje, muitas grandes empresas já utilizam de robôs auxiliando o trabalho de humanos.

O que são robôs colaborativos?

São máquinas feitas especificamente para interagir com humanos e este é o ponto principal. Eles conseguem atuar juntamente com humanos em um ambiente compartilhado.

Essa interação acontece por meio de estruturas programadas, utilizando movimentos simples, comandos de voz, displays específicos, etc.

Para que as operações desejadas ocorram em segurança de acidentes, eles utilizam vários sensores que ajudam a compreender o ambiente ao redor.

Deixo aqui um vídeo que demonstra a utilização de um Cobot na Omron. O vídeo está em inglês, mas é de fácil entendimento visual.

Aplicações

Medicina e aplicação nas cirurgias

Em alguns hospitais, já existe a aplicação de robôs colaborativos para auxiliar nas cirurgias. Além de revolucionar a indústria, os Cobots, conseguem revolucionar também a medicina.

Em restaurantes com montagens de alimentos

A empresa Miso Robotics’ Flippy criou mãos e braços de robô aptos para ajudar na comida. A ideia é fazer com que a produção seja mais consistente, limpa e eficiente.

Deixo aqui um vídeo massa, da produção de um Hambúrguer. vale a pena conferir!

 

Nas indústrias mecânicas

Aqui temos um exemplo de como os cobots seriam utilizados na produção de carros. É interessante pensar em como auxilia no trabalho humano e deixa o resultado ainda mais produtivo.

 

No Brasil

A empresa Pollux trabalha no Brasil e unica preferred partner da Universal Robots, a primeira a desenvolver um modelo de negócio de robô como serviço. Nessa empresa é possível alugar o seu robô e adaptá-lo nas empresas.  No site, é possível encontrar vários exemplos e é legal conferir! 😉

Potencial disruptivo

E além disso, conseguem recolher dados o tempo todo durante o processo. E com essa quantidade de dados é possível fazer análises e previsões mais seguras.Quantas pessoas são necessárias para fazer determinada tarefa? Uma questão que estes dados poderiam avaliar com mais facilidade.

Um problema grave dos robôs colaborativos é que os dados que eles trazem são conectados com a rede e devido a isto, existe grande vulnerabilidade. Existem chances de serem invadidos por hackers em ataques maliciosos. Falamos sobre isto no nosso texto sobre cybersegurança.

Benefícios

Ergonomia para os funcionários: os sensores nestes robôs garantes uma interação de robôs e humanos de maneira segura e controlada. O problema da ergonomia é solucionado.

Qualidade da produção:  as técnicas possuem precisões milimétricas e o procedimento é assertivo.

Produtividade: as máquinas inteligentes operam 24h por dia, sem necessitar de pausas.

Segurança: se esse robô tocar em alguém sem querer, o movimento é instantaneamente interrompido para que não haja nenhum tipo de acidente. Ou seja, o risco de acidentes é praticamente nulo.

Facilidade de usar: e mais interativa.

Economia: Garantindo uma economia significativa no final das contas.

Conclusão

É inevitável que teremos mais interações com robôs no futuro. Os questionamentos de como será a convivência continuam cada vez mais fortes. E você, o que acha que vai acontecer?

Compartilhe esse texto com um amigo e ajude a disseminar o movimento maker! Bora fazer!

Se quiser e se sentir a vontade, manda uma mensagem pra gente! Vamos adorar conversar com você. 😉

Texto escrito por Aline Almeida

 

 

Deixe um comentário!!!