QUE IKIGAI É ESSE??

 

Quem nunca entrou numa crise existencial ou ficou se questionando qual é seu propósito de vida? Se é realmente bom em alguma coisa? objetivo de vida, sonhos, metas e desafios… Chamem do que quiser, parece que sempre, em algum momento, vamos questionar se nossas escolhas estão certas, se estamos contentes e felizes com a nossa vida atual ou simplesmente estamos deixando de lado o que queremos por algo maior. E, no fim das contas, esse “algo maior” não passa de uma desculpa para a procrastinação.

Sim, meus queridos. Quando isso acontece, a “Síndrome Zeca Pagodinho”  ativa nosso piloto automático e a vida vai levando. Não que isso seja ruim, mas e se ela levar para onde você não queria ir? Esse tempo poderia ser utilizado para riscar um desejo daquela listinha de fim de ano.

O que eu quero dizer é: você pode até ser feliz com a sua vida hoje, porém ela está alinhada com o que você realmente quer? Responda a pergunta: Qual é a razão pela qual você levanta todas as manhãs? Isso é o que chamamos de IKIGAI.

A palavra Ikigai é de uma junção das palavras “Ikiru”, cujo significado é “viver” e “Kai”, que é algo como “a realização do que se espera”. Juntas, essas definições nos levam à “uma razão para viver”, ou seja, “um propósito de vida”. Ikigai é uma filosofia de vida, onde a busca pelo seu propósito e a sua realização têm grande peso na vida de uma pessoa. Ele é moldado pela intersecção de quatro dimensões básicas: a sua paixão, a sua vocação, a sua profissão e a sua missão de vida.

Falou tudo, lindíssima! Mas como posso descobrir meu IKIGAI? Não existe um caminho certo, algumas pessoas descobrem isso naturalmente. Todavia, existem algumas dicas que podem ajudar, siga essa receitinha de bolo:

1º passo: Faça uma reflexão sobre si mesmo. Resultados de testes de autoconhecimento não contam, é preciso de um mergulho profundo em si mesmo. Algumas questões podem ajudar a desvendar esse labirinto interior:

O que você ama fazer?

No que você é bom?

No que o mundo precisa de você?

Pelo que você pode ser pago?

 

Se tiver muita dificuldade nesse processo, comece a fazer essas perguntas para sua rede de relacionamentos mais próxima, em quem você realmente confia e te conhece bem. Mas antes,não se esqueça de:

Sair do piloto automático: questione-se frequentemente o que te traz uma real felicidade. Ikigai é o oposto da passividade ou conformismo, exige-se muito do que faz sentir vivo. Independente de idade ou estado físico, este conceito está muito ligado ao estado mental.

Não se comparar com ninguém: “Se tá na internet é verdade” – Ata! As redes sociais são a uva passa no Natal nesse momento. Selecione ou tire-as.

Aprender a dizer NÃO: você não é obrigado a aceitar todos os convites para o rolê, muito menos fazer coisas que vão contra seu ikigai.

Se questionar: Quais são suas atividades diárias que te levam a continuar investindo o seu tempo para fazer cada vez melhor?

Fugir da zona de conforto: explore algo novo, conheça novos lugares ou simplesmente faça algo diferente. Vale desde a mudar o trajeto da volta para casa a entrar em um projeto voluntário. A única regra é se permitir novas experiências.

Descobrir seu talento: não descobriu no que você é bom ainda? Significa que você ainda não se descobriu o suficiente. Agora é uma ótima oportunidade para começar, porque não? E se já descobriu, precisa colocá-lo em ação!

 

2º passo: Monte seu diagrama

 

As intersecções dessas esferas, mostram mais profundamente sobre seus ideais:

O que você ama + O que você é bom = Paixão

O que você é bom + O que você pode ser pago para realizar = Profissão

O que você pode ser pago para realizar + O que o mundo precisa = Vocação

O que o mundo precisa + O que você ama = Missão 

 

3º passo: Mão na massa!!

Depois do seu tempo de reflexão comece a anotar o que lhe veio a cabeça e tente passar para o diagrama de Ikigai. Construa cada círculo com as ideias mais fortes que vêm à mente para cada pergunta. Depois disso, tente juntá-las escrevendo em uma única frase o seu Ikigai (NÃO precisa ser conciso ou gramaticalmente correto e polido).

Quando terminar, releia e pense se o que você escreveu exprime seu pensamento. Em seguida, considere o quão alinhado está a sua vida atual do seu ikigai. Finalmente, se você notar um desalinhamento, desafie-se a colocá-lo em ação. Seja um MAKER!

 

 

Texto por Ana Carolina Rodrigues

Deixe um comentário!!!