Você subestima suas soft skills? – por Márcio Firmino

Sou o Márcio Firmino, tenho 23 anos, faço engenharia de controle e automação na UNIFEI e, hoje em dia, faço estágio em Marketing & BI na Ingresse.

Gostaria de compartilhar com vocês a importância da participação em um projeto de extensão e a maneira como ele deve ser visto. Bem, antes de mais nada: fiz parte do Centro acadêmico de Engenharia de Controle e Automação (CAECA SEUS LINDOS, SAUDADES).

Quando descobri que fui aprovado para estagiar na Ingresse (Marketing & BI), fiz um breve discurso de saída sobre a real importância que esse projeto teve para mim, tanto profissional, como pessoalmente.

Muita gente acha que faculdade se resume a estudar, estudar e estudar; terminar as matérias e pronto, formei. Entretanto, podemos resumir o perfil de uma pessoa pela sua competência em duas áreas: hard skill e soft skill. Simplificando, hard skills são habilidades técnicas como, por exemplo saber inglês e/ou Excel. Já soft skills são habilidades comportamentais, a maneira com que você se relaciona e interage com as pessoas ao seu redor, atitude, comunicação, proatividade.

Ah Firmino, por que você está falando isso?

Estou falando disso porque, desenvolver hard skill é algo fácil de ser ensinado, principalmente para tarefas específicas (como o desenvolvido em empresas/estágios), enquanto que soft skill é algo muito ligado à sua personalidade e isso é muito difícil de ser treinado. A real importância do CAECA na minha vida está muito ligada a muito mais soft skill do que hard skill. Quem me conheceu pode notar uma evolução nas minhas soft skills graças ao real feedback de cada um deles.

Ah Firmino, mas o que você quer dizer com isso e por que devo me atentar a isso?

Você deve se atentar porque assim como em uma empresa, o CAECA tem cultura e valores, e nele você passará por reuniões, situações de impasse, tomadas de decisões difíceis e feedbacks, construtivos ou não.

Vou dar um exemplo: Sempre fui uma pessoa muito direta e objetiva nas minhas respostas, e com isso, eu acabava soando “rude e grosso”. Quando descobri que meu jeito incomodava algumas pessoas, de cara fiquei meio chateado, porém comecei a prestar mais atenção se minha fala realmente soava grosseira. E para a minha surpresa, estava grosseira.

Ah Firmino, e qual foi o próximo passo?

O próximo passo foi tentar melhorar, pensando mais antes de falar, me atentando a forma de me expressar, perguntando para a pessoa se pareci rude, pedindo feedbacks para as mesmas pessoas que falavam comigo antes. Melhorar soft skill é algo difícil; todo mundo consegue dizer os erros dos outros com muita facilidade, porém tem muita dificuldade em reconhecer os seus próprios, principalmente por não pararem e analisarem o famoso “Como eu sou?”, “Como eu posso melhorar?” ou “Como eu sei que isso está errado?” com tanta sinceridade, sempre colocamos desculpas pessoais nos justificando, o que às vezes pode ser uma forma de egocentrismo.

Resumindo, hard skill é sim MUITO IMPORTANTE, porém o soft skill parece bem desprezado entre os estudantes e engenharia, e muitos sequer não procuram oportunidades de trabalhar isso, exatamente porque não julgam importante. Um bom exemplo disso é a

concorrência por uma vaga de estágio, duas pessoas, ambas com hard skill parecidas, o que vai determinar quem fica com a vaga? Aquele que o gestor mais se der bem e se identificar.

Você não precisa necessariamente fazer parte do CA/DA do seu curso, faça parte de um projeto que você realmente se engaje com as pessoas, que se sinta bem, que não veja aquilo como uma obrigação, e sim como um tarefa que trará frutos porque só assim irá adquirir não só conhecimento técnico como também estará ao lado de companheiros que terão coragem de falar o que precisa ser melhorado, e que seja possível evoluir como PESSOA; e isso meus caros colegas, são poucos que tem a coragem de fazer.

Fica aqui o meu imenso agradecimento ao CAECA que me acolheu tão bem, me trouxe não só companheiros com um propósito em comum, mas também os posso chamar de amigos. Por sempre buscarem o melhor de mim, sabendo que dei o melhor de mim lá dentro também. Obrigado CAECA!

Ah, e caso tenha ficado alguma lacuna ou algumas frases sem sentidos, queira entender melhor, ou expandir esses 2 dedos de prosa, pode me enviar um e-mail (marcio.firminojr@gmail.com). Será um prazer conversar com você!

Texto escrito por Márcio Firmino

 

Deixe um comentário!!!